I Workshop de Reabilitação Monitoramento e Conservação de Fauna Silvestre

O WAITA Instituto de Pesquisa e Conservação, realiza nos dias 22 e 23 de novembro, o I Workshop: Reabilitação, monitoramento e conservação da fauna silvestres.

Inscreva-se Já!Ver programação

Agradecimentos


MUITO OBRIGADA POR PARTICIPAR DO #RMC2019!! Foram 16 palestras, mais de 25 instituições, seis espaços de discussão, quase 250 participantes e muitas, muitaaaas novas experiências e aprendizados.

Pudemos trocar vivências, fazer desabafos, buscar soluções juntos, construir a ciência em parceria e crescer, como pessoas e profissionais!

A ideia do #RMC2019 foi inovadora e acreditamos que o sucesso dessa primeira edição só foi possível devido a todos os nossos parceiros, apoiadores, instituições, estudantes e profissionais que acreditaram no nosso evento e encheram o teatro do Izabela Hendrix com a mente aberta para a TROCA!

Fizemos diferente sim, quando trocamos informações, quando buscamos soluções em conjunto para os dilemas dos nossos trabalhos diários, quando contribuímos com os nossos resultados positivos, mas, principalmente, quando não tivemos medo de contar nossas falhas, expor nossos problemas e medos e buscamos soluções em conjunto... Fizemos diferente sim, quando nos unimos em prol de um único bem maior: A conservação da nossa querida fauna! Não se faz ciência sozinho! Não se enxerga além sem subir nos ombros de gigantes!

GRATIDÃO A TODOS VOCÊS QUE ESTAVAM COM A GENTE NESSE MOMENTO LINDO! GRATIDÃO AOS PARCEIROS, GRATIDÃO AOS APOIADORES, AS INSTITUIÇÕES E PARTICIPANTES! Que venha o #RMC2020!

RESUMO #RMC2019

Download do PDF

CERTIFICADOS #RMC2019




Sobre o Evento

Sobre o Evento


Com o intuito de reunir diferentes instituições e profissionais que trabalham para a conservação da fauna silvestre, este workshop abre espaços para trocas de experiências e vivências de uma forma inovadora e construtivista.

O evento promoverá, além de palestras, espaços de discussões com temas pré-determinados, aonde várias instituições participarão concomitantemente, todas contribuindo para um único propósito geral. Isso proporcionará um diálogo direto entre as mesmas, de forma que se torne viável a real discussão sobre as problemáticas de cada um dos temas abordados.

Todos os espaços serão abertos a estudantes e a comunidade em geral, de forma a se fazer ciência de maneira democrática e progressiva. Acreditamos que conhecimento retido é conhecimento desperdiçado e que, a melhor maneira de se trabalhar pela conservação é através da união e troca de experiências.

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Participantes do #RMC2019

Onçafari

A Associação Onçafari foi criada para promover a conservação do meio ambiente e contribuir com o desenvolvimento socioeconômico das regiões em que está inserida por meio do ecoturismo e de estudos científicos.
Trabalhamos pela preservação da biodiversidade em diversos biomas brasileiros, com ênfase em onças-pintadas e lobos-guarás.

oncafari
GreenBond

A GreenBond é uma empresa de impacto socioambiental especializada na captação de recursos, patrocínios e soluções em comunicação para projetos de conservação ambiental.

greenbond
Sair do casulo

A empresa Sair do Casulo é especializada em Gestão e Educação para a Sustentabilidade e tem o objetivo de auxiliar pequenas e médias empresas, organizações do terceiro setor, instituições de ensino e também famílias, oferecendo alternativas, conteúdos e produtos que contribuam com um mundo melhor.

sairdocasulo
Refauna

O projeto Refauna tem o objetivo de restaurar as interações ecológicas que foram perdidas em florestas defaunada, através da reintrodução de médios e grandes vertebrados em remanescentes de Mata Atlântica do Rio de Janeiro, sudeste do Brasil.

refauna
IPRAM

O Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos (IPRAM) é uma associação civil sem fins lucrativos fundada por profissionais das ciências biológicas e medicina veterinária com visão conservacionista. Diante da crescente interferência da atividade humana no equilíbrio dos ecossistemas marinhos, nós acreditamos ser responsabilidade da sociedade a reabilitação de animais marinhos resgatados em estado de debilidade, e sua devolução ao ambiente natural.

IPRAM
Instituto Vida Livre

Organização brasileira que cria e desenvolve projetos de reabilitação e conservação de fauna silvestre. Buscamos implementar e promover a inovação em nossos serviços atuando nas áreas de manejo de fauna, comunicação, educação e pesquisa de modo a aumentar e fomentar o conhecimento  sobre as diversas realidades que nossos animais silvestres vivem no país.

institutovidalivre
Pró-Tapir

O Pró-Tapir é um programa de monitoramento e conservação dos ungulados na Mata Atlântica. Nossas espécies focais são a anta, o cateto, a queixada e os veados. Nossa meta é estabelecer ações voltadas à conservação dessas espécies com base em dados coletados das atividades de pesquisa. Uma das principais ações é sensibilizar e difundir essas informações para a comunidade.

Pró-Tapi
Projeto Muriquis do Caparaó

O Projeto Muriquis do Caparaó é uma inciativa de pesquisadores conservacionistas, gerenciado pela Organização Não Governamental Rede Eco-diversa para Conservação da Biodiversidade, conciliando pesquisa científica, educação ambiental e ações de manejo e conservação da população de muriqui-do-norte  (Brachyteles hypoxanthus Kuhl, 1820) no Parque Nacional do Caparaó. O projeto é pioneiro no uso de tecnologias não invasivas para o monitoramento da espécie. Tais ferramentas têm gerado dados importantes sobre a biologia da espécie e para o cumprimento das metas propostas no Plano de Ação Nacional para os Primatas da Mata Atlântica e da Preguiça de Coleira.

Ministério Público
mpmg
Cetas MG

O Centro de Triagem de Animais Silvestres de Minas Gerais (CETAS-MG) tenta dar uma segunda chance a animais provenientes do tráfico de animais silvestres, guarda doméstica ilegal, animais feridos ou resgatados em meio urbano e rodovias. O Centro é responsável por receber, identificar, marcar, triar, avaliar, recuperar, reabilitar e destinar animais silvestres provenientes da ação da fiscalização, resgates ou entrega voluntária de particulares.

CETAS MG
Ibama MG

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), órgão federal criado pela Lei nº 7.735 de 22 de fevereiro de 1989 é uma autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). Seus objetivos são a preservação, a melhoria e a recuperação da qualidade ambiental, além de assegurar o desenvolvimento econômico, com o uso sustentável dos recursos naturais.

ibama MG
IEF

O Instituto Estadual de Florestas (IEF) foi criado em 1962, pela Lei nº 2.606. Autarquia inicialmente ligada à Secretaria de Estado da Agricultura, passa a vincular-se, a partir de 1995, à recém-criada SEMAD - Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável: sua missão, cumprir a “agenda verde” do Sistema Estadual do Meio Ambiente - SISEMA, atuando no desenvolvimento e na execução das políticas florestal, de pesca, de recursos naturais renováveis e de biodiversidade em Minas Gerais.

ief
Waita

Somos uma organização não governamental, sem fins lucrativos, fundada por profissionais que lutam para melhorar o estado de conservação da biodiversidade brasileira. Biólogos, médicos veterinários, estudantes e voluntários de diversas áreas executam projetos de pesquisa e ações direcionadas, principalmente, para a conservação de espécies vítima do tráfico de animais silvestres, desenvolvendo um trabalho sério, consistente e diferenciado, tornando-se referência em sua área de atuação.

waita
MIB

A MIB, Muriqui Instituto de Biodiversidade é uma entidade sem fins lucrativos criada em 2015. Sua missão é contribuir para a proteção de toda biodiversidade brasileira. Atualmente desenvolve projetos com intuito de estudar, proteger e preservar espécies ameacadas de extinção da Mata Atlântica, com foco especial nas populações de Muriquis-do-norte (Brachyteles hypoxantus) em Minas Gerais. Trabalhando também com projetos de conservação de várias outras espécies da fauna, atua principalmente em ações de manejo, refaunação, revigoramento demográfico, entre outros projetos de pesquisa visando a conservação da natureza.

mib
CRAX

Associação privada sem fins lucrativos, de caráter científico, criada em 1987 por Roberto Azeredo e James Simpson. As investigações de campo e cativeiro no período de 1975 até a criação da Crax foram trabalho pessoal de Roberto Azeredo. Começou com o objetivo inicial de salvar espécies da fauna silvestre ameaçadas de extinção (preservação da biodiversidade). Desenvolveu estudos de campo, criação em cativeiro e reintrodução na Natureza. Prioridade para aves. Incorporou ao objetivo inicial a conservação dos ecossistemas envolvidos (habitats). Criou exemplos práticos de desenvolvimento sustentável ao atuar com empresas detentoras de reservas naturais, em harmonia com suas atividades regulares, para realizar os projetos de reintrodução. Completou o conceito com a educação ambiental (empresas, comunidades, escolas, imprensa e técnicos). São esses os 4 pilares que sustentam as estratégias e atividades da CRAX – a preservação da biodiversidade continua o “carro-chefe” e dá significado aos outros objetivos. A CRAX sempre reúne discurso e prática, única forma de alcançar resultados concretos e duradouros.

crax
ZOOVET

A ZOOVET CLÍNICA E CONSULTORIA atua desde 2003 no manejo em fauna silvestre in situ e ex situ. Atua no manejo populacional ético de capivaras, resgates e monitoramentos de fauna, capturas e manejo de grandes carnívoros e de outros animais silvestres e domésticos ferais/semoventes. Em 2016 inaugurou a primeira clínica veterinária exclusiva para animais silvestres/exóticos em Minas Gerais e no ano seguinte tornou-se a primeira clínica exclusiva 24h do país. Sua equipe formada por biólogos e veterinários presta assistência a fauna para particulares, empresas e em desastres ambientais.

ZOOVET
Projeto TamanduASAS

O número de animais silvestres apreendidos, recolhidos e entregues aos órgãos ambientais vem aumentando no decorrer dos anos. Objetivando buscar alternativas para a destinação e conservação da fauna silvestre, o Instituto Estadual de Florestas (IEF), desenvolve no estado de Minas Gerais o Projeto ASAS - Áreas de Soltura de Animais Silvestres. O Projeto ASAS cadastra áreas rurais, particulares, que sejam propícias à reabilitação e soltura de espécimes da avifauna silvestre. Em novembro de 2016, em decorrência da alta demanda de tamanduás-bandeira recolhidos na região do Triangulo Mineiro, foi criada uma expansão do Projeto ASAS: o Projeto TamanduASAS, específico para reabilitar filhotes de tamanduás-bandeira que tiveram suas mães atropeladas e realizar a soltura monitorada destes animais. O projeto visa criar e aprimorar técnicas de reabilitação e avaliar as taxas de sobrevivência e adaptação dos tamanduás após a soltura. O TamanduASAS cadastra candidatos dispostos a manter, custear e alimentar os tamanduás em sua fazenda, após a construção do recinto de reabilitação, custeado pelo Ministério Público do Meio Ambiente. O projeto possui cinco recintos de reabilitação, nos municípios de Uberlândia, Uberaba, Tupaciguara e Araguari. Os filhotes recolhidos pela polícia ambiental e entregues à equipe do IEF da Regional Triângulo Mineiro, em Uberlândia são avaliados e alimentados, até que tenham condições de serem encaminhados para o Centro de Triagem de Belo Horizonte, onde permanecem até o desmame. Após desmame e avaliações sanitárias, os tamanduás retornarão ao recinto de reabilitação mais próximo da região onde foram recolhidos. A reabilitação dos tamanduás- bandeira será focada no isolamento humano, adaptação à área de soltura e oferecimento de alimentação a base de formigas e cupins. A etapa final do projeto consiste em soltar os tamanduás após a reabilitação e monitora-los durante um ano por telemetria VHF e via satélite. Serão avaliadas a eficácia de reabilitar e soltar tamanduás mantidos em cativeiro quando filhotes e as ameaças do ambiente pós-soltura para estes animais. Espera-se que os resultados deste projeto possam viabilizar uma alternativa de destinação responsável que proporcione a não permanência em cativeiro de tamanduás nascidos em vida-livre.

Centro de Conservação dos Saguis-da-Serra

O Centro de Conservação dos Saguis-da-Serra da Universidade Federal de Viçosa (CCSS-UFV) é parte integrante da iniciativa nacional do Programa de Conservação dos Saguis-da-serra (PCSS), e tem como objetivo principal desenvolver atividades que visem a conservação das espécies de sagui-da-serra (Callithrix aurita e C. flaviceps) habitantes da Mata Atlântica brasileira.

UFOP

A Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) é uma instituição de ensino superior pública federal brasileira, sediada em Ouro Preto, no estado de Minas Gerais. Atualmente, também conta com unidades nas cidades de Mariana e João Monlevade, ambas em Minas Gerais. Foi criada em 21 de agosto de 1969 a partir da incorporação de duas centenárias instituições de ensino superior: a Escola de Farmácia fundada em 1839 e a Escola de Minas fundada em 1876. Atualmente, é uma das mais importantes universidades de Minas Gerais e também do Brasil.

ufop
Bocaina - Biologia da Conservação

A Bocaina é uma empresa dedicada à socialização do conhecimento, comunicação da ciência e à capacitação de profissionais, com foco principal na Conservação da Biodiversidade. Temos como missão transmitir e gerar conhecimento científico, por meio de Educação, Pesquisa e Serviços em Ciências da Conservação, visando à promoção da Conservação Ambiental, da Cidadania e da Ciência. Mantemos uma plataforma acessível, que permite discussões com a participação popular para resolver problemas da conservação da biodiversidade. Fomentamos as discussões criando conteúdos online realizando entrevistas, tutoriais e divulgando as ciências da conservação. Ainda oferecemos programas de capacitação e cobertura de eventos científicos com o auxílio de recursos audiovisuais.

Bocaina
ZooEthos

Escola de Veterinárioa - UFMG

Sete Soluções e Tecnologia Ambiental

A Sete Soluções e Tecnologia Ambiental é uma empresa de consultoria ambiental que, desde 1997, realiza estudos, elabora projetos e propõe soluções para viabilizar empreendimentos buscando o equilíbrio entre a preservação ambiental, o desenvolvimento social e o crescimento econômico.
A Sete acredita que trabalhar pela sustentabilidade, por meio do acesso planejado aos recursos naturais, da geração de emprego e de uma melhor qualidade de vida para as comunidades envolvidas, gera um ciclo virtuoso de desenvolvimento econômico.

Sete
Amigos do Lobo

O “Programa para a Conservação do Lobo-Guará – Lobos da Canastra” acumula 10 anos de pesquisas e ações práticas direcionadas à conservação do lobo-guará na região da Serra da Canastra, Minas Gerais. As ações em andamento buscam reduzir a pressão sobre a espécie em uma área que está sob conflito permanente, através de propostas diretas de mitigação de impactos, o aumento e disseminação do conhecimento sobre a espécie e a alteração da relação da população local sobre o lobo.

Amigos do Lobo
Prístino

O Instituto Prístino é uma pessoa jurídica de direito privado sem fins econômicos criado para desenvolver pesquisas direcionadas em diagnóstico, conservação e uso racional do patrimônio natural.
Realizamos inventários, diagnósticos ambientais, modelagem da paisagem e desenvolvemos métodos de análise ambiental sempre a partir de uma abordagem geoecossistêmica, principalmente em áreas que apresentam megadiversidade biológica, cultural, geológica e histórica.

PRÍSTINO


Programação

22 de novembro

08:00

Café da manhã e credenciamento

08:45

Abertura
Waita, IBAMA, IEF, Izabela Hendrix, CRBio

09:30

Tráfico de animais silvestres
Ministério Público - Dra. Luciana Imaculada de Paula

10:10

Reabilitação, soltura e monitoramento de Tamanduá-bandeira
TamanduASAS- Juliana Magnino - Analista Ambiental do IEF - Triângulo Mineiro

10:50

Conservação da biodiversidade - o caso do mutum-de-Alagoas (Pauxi mitu), extinto na Natureza desde 1979
CRAX - Roberto Azeredo

11:30

Ciência, arte e divulgação na conservação de grandes mamíferos
Pró-Tapir - Bruna Pacheco Pina

12:10

-
-

13:00

Palestra a confirmar
 

13:40

Reabilitação de animais marinhos
IPRAM - Allan Poltronieri

14:20

Refaunando a Mata Atlântica: o Projeto Refauna e as múltiplas reintroduções
Joana Silva Macedo

15:00

Projeto Bicudos
Amanda Melo

15:40

Café com ciência
 

16:10

Onçafari Rewild: Reintroduzindo Onças-pintadas na natureza
Onçafari - Gustavo Figueiroa

16:50

Estratégias de manejo para conservação do Muriqui-do-Norte
MIB - Fabiano Bião de Melo

17:30

Venha ser vida livre
Instituto Vida Livre - Roched Seba

23 de novembro

Vida no dossel: monitoramento de mamíferos arbóreos
Projeto Muriquis do Caparaó

08:00

Marketing para conservação: Uma estratégia para a captação de recurso
Greenbond - Diego Rugno

08:40

Lobinha: Uma lobo-guará que iniciou a construção do protocolo de reabilitação e soltura da espécie
Pedro Teles

09:20

Café com ciência
 

10:00

Treinamento anti-predação como ferramenta para a conservação
UFOP - Cristiano Schetini de Azevedo

10:30

Abrace o tamanduá
WAITA - Fernanda Sá

11:10

Espaço Marketing
Green Bond, Sair do Casulo, Bocaina, Instituto Vida Livre

13:00

Espaço Sanidade
Professor Nelson - UFMG, ZooEthos, Dr. Exótica, Lara Ribeiro - UFMG, CETAS - Divinópolis, CETAS - BH, Zoovet

13:00

Espaço Reabilitação
WAITA, Onçafari, MIB, Pró-tapir, Refauna, IPRAM, Muriquis do Caparaó, CRAX, UFOP, TamanduASAS, Amigos do Lobo, CETAS - BH

13:00

Espaço Tráfico
Ministério Público, Instituto Pristino, SEMAD, Polícia Federal, Polícia Civil, IBAMA, Guarda Civil, Grupamento de policiamento ambiental de contagem

16:15

Espaço Clínica geral
Professor Nelson - UFMG, ZooEthos, Dr. Exótica, Lara Ribeiro - UFMG, CETAS - Divinópolis, CETAS - BH, Zoovet

16:15

Espaço Monitoramento
WAITA, Onçafari, MIB, Pró-tapir, Refauna, IPRAM, Muriquis do Caparaó, CRAX, UFOP, TamanduASAS, Amigos do Lobo, CETAS- BH, Centro de Conservação dos Saguis-da-Serra

16:15

Encerramento
 

19:00

Festa #RMC2019
Major Lock (R. Maj. Lopes, 729 - São Pedro, Belo Horizonte)

20:00



Espaços de Discussão

Estes espaços foram pensados para unir instituições e construir ideias e soluções para os projetos de conservação jutas. Várias instituições, todas com fala ativa, irão discutir diferentes temas previamente determinados.

Espaço Tráfico Ministério Público, Instituto Pristino, SEMAD, Polícia Federal, Polícia Civil, IBAMA, Guarda Civil, Grupamento de policiamento ambiental de contagem

O tráfico de animais silvestres retira milhares de animais todos os anos da natureza. É o quarto negócio ilegal mais lucrativo do mundo e há estimativa de que o Brasil participe com 15% deste volume.

Este espaço promoverá a discussão sobre o assunto, buscando alternativas para o combate ao tráfico e medidas de reverter estes quadros.

Temas:
- Ações preventivas
- Legislação
- Ações integradas/ inteligência no combate ao tráfico
- Tráfico virtual de animais silvestres
- Rotas do tráfico

Espaço Marketing Green Bond, Sair do Casulo, Bocaina, Instituto Vida Livre

O espaço Marketing para a conservação visa discutir a utilização de estratégias e ferramentas adotadas no universo do marketing, com o objetivo de comunicar e mobilizar o maior número de pessoas à favor de uma causa em comum: salvar o planeta.

Serão abordados temas como redes sociais, sites, planejamento, execução e desenvolvimento de campanhas, captação de recurso, estratégias, dentro outros.

Temas:
- Comunicação e Marketing
- Presença digital
- Redes sociais e influenciadores
- Comunicação para Captação de Recursos
- Divulgação científica e educação ambiental

Espaço Reabilitação WAITA, Onçafari, MIB, Pró-tapir, Refauna, IPRAM, Muriquis do Caparaó, CRAX, UFOP, TamanduASAS, Amigos do Lobo, CETAS- BH

A reabilitação dos animais silvestres é um processo fundamental para a devolução destes animais para a natureza. Este espaço permitirá a troca de informações, vivências, compartilhamento de técnicas e soluções de problemas encontrados pelas instituições.

Temas:
- Comportamento animal
- Bem-estar e enriquecimento ambiental
- Técnicas de reabilitação (treinamentos)
- Manejo dos animais em reabilitação
- Ética

Espaço Monitoramento WAITA, Onçafari, MIB, Pró-tapir, Refauna, IPRAM, Muriquis do Caparaó, CRAX, UFOP, TamanduASAS, Amigos do Lobo, CETAS- BH, Centro de Conservação dos Saguis-da-Serra

A melhor maneira de confirmar o sucesso de reintrodução dos animais e de se obter dados comportamentais e ecológicos é através do monitoramento. O Espaço Monitoramento abordará as diferentes técnicas, tecnologias, metodologias e problemáticas desta etapa.

Temas:
- Monitoramento ativo
- Monitoramento remoto
- Técnicas de monitoramento para avaliação do sucesso de reabilitação
- Translocação e reintegração
- Divulgação e compartilhamento de dados

Espaço Sanidade Professor Nelson - UFMG, ZooEthos, Dr. Exótica, Lara Ribeiro - UFMG, CETAS - Divinópolis, CETAS - BH, Zoovet

Momento para se discutir sobre as doenças de maiores casuísticas da fauna silvestre, formas de transmissão, controle, controle e prevenção e os possíveis desdobramentos para a soltura dos animais.

Temas:
- Principais doenças de aves e mamíferos
- Epidemias. Como evitá-las?
- Biossegurança
- Transmissão de patógenos in sito X ex situ
- Avaliação de resultados e tomada de decisões

Espaço Clínica Geral Professor Nelson - UFMG, ZooEthos, Dr. Exótica, Lara Ribeiro - UFMG, CETAS - Divinópolis, CETAS - BH, Zoovet

No Espaço Cínica geral serão abordados assuntos relacionados aos tratamentos veterinários, métodos de diagnósticos e experiencias vivenciadas pelos profissionais no tratamento de recuperação da fauna silvestre.

Temas:
- Ética
- Tratamento X Eutanásia
- Nutrição
- Casos clínicos excepcionais
- Emergências, anamnese e diagnósticos clínicos



Inscreva-se

  1. Para se inscrever você deve, realizar o pagamento
    • Estudante
    • R$ 150,00

      Até 12/10/2019

    • R$ 180,00

      Até 02/11/2019

    • R$ 220,00

      Até 16/11/2019

    • R$ 300,00

      Até 22/11/2019

    • Profissional
    • R$ 180,00

      Até 12/10/2019

    • R$ 210,00

      Até 02/11/2019

    • R$ 250,00

      Até 16/11/2019

    • R$ 330,00

      Até 22/11/2019

    Ou faça uma transferência para:

    Banco do Brasil
    Instituto de Pesquisa Waita
    AGÊNCIA: 1629-2
    CONTA CORRENTE: 125511-8
    CNPJ: 13.704.197/0001-91

    IMPORTANTE: Salve o comprovante pois você precisará enviar no formulário de inscrição

    PARCELAMOS DE 2X POR TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA (Primeira parcela no ato da inscrição e segunda até o dia do evento - enviar o comprovante da segunda parcela em waita.contato@gmail.com)

    Atenção: Caso você seja formado e não esteja atuando, entre em contato conosco que teremos uma condição especial)
  2. Preencher o formulário de inscrição, anexando comprovante de matrícula quando houver, comprovante de pagamento

    Preencher o formulário
  3. Aguardar a confirmação via e-mail

Organização



Parceiros

Local do Evento